5 de jul de 2014

TCC sobe o título: A performance em mim: um estudo metodológico para criação de ato performático partindo da Reperformance

O caminho deste dia especial, as pessoas que passavam por mim na rua estavam diferentes, mas na verdade quem estava diferente era eu. Estava passando por uma etapa tão importante da minha vida, a entrega do meu tcc.
Fui atravessada por várias sensações quando estava imprimindo meu trabalho de conclusão de curso, esse dia teve um sabor especial de nervosismo.
Entreguei meu TCC no dia 03 de julho e toda uma gama de experiências vivenciadas na faculdade por mim e compartilhada aos meus colegas tanto de aula quanto de projetos passaram pelo meu corpo.
Minha pesquisa só foi possível por eu estar com pessoas que me deram força, sem elas eu não teria realizado da mesa forma.

Título do trabalho:

A performance em mim: um estudo metodológico para criação de ato performático partindo da Reperformance


Minha orientadora Alexandra Dias




Outra etapa importante foi minha banca onde apresentei meu trabalho, explicando como cheguei as conclusões da minha pesquisa. No prédio dos Cursos de Teatro e Dança (Tamandaré, 275) em uma quinta-feira, dia 17 de julho, às 10:30h 2014.


 Banca: Maria Amélia Gimmler Netto, Curso de Teatro UFPEL,  João Carlos Machado, Centro de ArtesUFPEL
 Orientadora: Alexandra Dias Curso de Dança UFPEL



Resumo


DUARTE, Tatiana dos Santos. A performance em mim: um estudo metodológico para criação de ato performático partindo da Reperformance. 2014. Curso de Teatro – Licenciatura. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.


Este trabalho de conclusão de curso visa a refletir sobre a utilização da reperformance, o ato de reviver a performance de outros artistas, uma forma de metodologia de cênica de criação. A performance de Marina Abramovic “Artista está Presente” reperformada é o processo que desencadeia esta investigação para acessar as potências de presença de cena. O projeto se apresenta como uma investigação de um método de criação, e ainda faço dele um relato de minhas experiências de performance. Serão apresentadas teorias em torno da arte da performance a partir de diferentes autores e artistas que servirão como base para meu discurso e para o desenvolvimento desta pesquisa.

Palavras-chave: Performance, Reperformance, Performatividade, Potências de Presença, Marina Abramovic.

11 de dez de 2013

III Circuito Regional dePerformance BODEARTE

Me inscrevi para participar de um edital BodeArte "CORPOS AUSENTES", esse ano, no qual os organizadores tentaram uma verba pública, não conseguindo a iniciativa. Mesmo assim se organizaram e fizeram evento acontecer, todo virtual, e com isso questionando o descaso de verbas públicas, voltada para a performance.
Participei pois achei a teimosia positiva, pois fazer arte, não é nada fácil na atual circunstancia.
Coloquei uma vídeo-arte e retirei dele uma imagem onde esta exposto na exposição nesta pagina abaixo:
link da imagem


Fêmeo Parte.II
Performance  sobre o feminino, com a inspiração na obra "o grito" de Eduard Munch
Nome do artista / coletivo: Tatiana Duarte
Nome do trabalho: Fêmeo Parte II
Ano do trabalho: 2011
Local de realização: Rio Grande
Local(is) de residência e criação do performer: Rio Grande/Pelotas
Autor da imagem: Thiago Rodeghiero



19 de jul de 2013

Experiencias para um ato performático

Estou pesquisando exercícios que estimulem o ator performático criador para meus alunos no Assis Brasil, onde realizo as aulas de estágio II de teatro ufpel.
Venho me debruçando sobre arte e cena e como a performance vem modificando a cena atual, os conceitos e experiencia no ato pode ser transfonadora e enriquecendo ao meio escolar.

Exercícios para o ato performático não brigar com o cotidiano:

dia 1

1- ocupar o menor e o maior espaço com os objeto que estão ex: mochilas, bolsas e jaquetas para não negar o cotidiano;

2- mexer o rosto e acordar o corpo;desenhando com o ombro e reverberando ao corpo sua iniciais;

3- utilizar a técnica do abraço "Pequenas ações terroristas: O Abraço"


4- trocar objetos com os colegas em silencio;

5- dispor esses abjetos pela sala como em uma galeria de arte; depois os colegas vão observar sua própria instalação seguida de textos sobre o que estão vendo.

Nuvens de possibilidades a partir da presença das pessoas;Limites do corpo;

dia 2

1-Aquecer o corpo, voz e a mente;

2- Dançar mexer o corpo;
3- moldar o corpo do outro através de imagens;

4-Jogar vôlei com outros objetos que os alunos vão escolher;

Tirar fotos dos participantes para fazer um mural de tiro ao
alvo; Com me relaciono com minhas imagens?



Como negociamos a passagem na performance?
Como se da descoberta do corpo através dos objetos?





Frase do Jean Racine " O que é bom em segredo é melhor em Publico"

21 de jun de 2013

Memorial TCC

Meu contato inicial com teatro foi em 1998, no grupo chamado Cacilda Becker da cidade de Rio Grande onde residia. Comecei a frequentar esse grupo por influência de minha irmã. Ela já estava no grupo há algum tempo e me convidou para assistir a um ensaio e vi que pela minha timidez teria um enorme desafio para desenvolver esse tipo de trabalho.
Lembro-me do primeiro ensaio que assisti: minha irmã e todos do grupo estavam ensaiando. Fiquei observando e percebi uma concentração de todos no trabalho, uma espécie de concentração total relacionada com o espaço físico (o palco e o corpo). Todos estavam totalmente entregues ao que estavam fazendo, eu, muito tímida, não conseguia ficar à vontade com meu próprio corpo. Entretanto, fiquei encantada. O que era realmente aquele estado? Como eles conseguiam ficar tão entregues?
Desse modo, entrei no desafio de fazer teatro. Estavam ensaiando um musical: Feminino ao Plural, as Frenéticas, com a direção de André Loureiro. Tivemos muitas dificuldades. Eu, particularmente, de encarar horas de ensaio. Alguns ensaios eram terrivelmente fracos, outros maravilhosos. Mas aquele encantamento inicial dizia que eu deveria ter persistência. Resultado: fiquei nesse grupo por cinco anos.
Quando tive experiências com outros grupos, percebi que era necessário uma adaptação. Cada um desses grupos que entrei possuía uma forma de trabalho diferente. Mas, havia um ponto em comum: todos enfatizavam o texto. Minha maior dificuldade era memorizar textos. Com um pouco de estudo dos textos meu problema de memorização era minimizado.


Quando conheci o diretor João Bosco B., para mim um dos artistas que mais me influenciou em minha formação de atriz-performer. João trabalha com Performances Escatológicas. Fazíamos muitas intervenções pelas ruas. Tudo, para mim, era diferente, pois ficávamos muito expostos aos espectadores: suas histórias de vida, seus conhecimentos específicos, etc. Tinha dúvidas sobre como o público podia entender o que estávamos tentando comunicar. Nosso principal tema eram as taras humanas e o caos que, de certo modo, governa uma sociedade. A relação com o público era muito intrigante. Apresentamos, com esse diretor, o espetáculo, Os Assassinos, esse trabalho foi apresentado em palco italiano. Diferente das performances, mas usamos todos os espaços: desde o palco à plateia. “Os Assassinos” usavam figurinos ousados para compor os impactos do trabalho, também tinha texto autoral e forte, nestes textos eram exploradas, o cinismo da humanidade e seu caos.


Agora, no curso de Teatro, começo a compreender que o estabelecimento de uma disciplina de trabalho é fundamental para a formação do ator. É preciso treinar o corpo, a voz, e constantemente construí e desconstruir nossos trajetos, para com isso explorarmos ao máximo nossas potencialidades.
Com o estabelecimento de uma disciplina estou criando técnicas que para mim antes eram puro instinto empírico. Agora, com todos esses estudos estou ampliando minhas possibilidades de criação autoral. Antes era tudo vago e agora os sentidos começam a se aflorar.
Vivenciar teatro na faculdade deu-me a possibilidade de pesquisar e compreender minha arte, e como artista e atriz, interesso-me por essa entrega total, desenvolvendo métodos em prática como faço atualmente em performances. Na faculdade onde estendo meus conhecimentos, participei do núcleo de dança Tatá no ano de 2009 e participei por três meses deste projeto.
 Quando participei do projeto, foi momento de soltar-me corporalmente e fazer com que este ficasse conectado com outros e com o espírito de grupo. Foi muito bom ter participado deste projeto, pois me deixou mais livre para improvisar em dança, compreendendo que ação cênica também é dança. 
Sempre com foco em pesquisa fui para outro projeto com o intuito de entender como funcionava o treinamento de ator, com o Projeto de extensão UFPEL "Núcleo de Teatro", que desenvolvi alguns trabalhos de pesquisa em treinamento, comecei em agosto de 2009 e fique no projeto até junho de 2010, onde meus interesses se voltaram para outras propostas e neste momento participei do projeto de extensão BOCA DE CENA. Neste projeto eles tem como principal interesse estabelecer a reflexão sobre aspectos interdisciplinares da criação em arte da cena com vídeo. Visa, portanto, problematizar o desejo das artes contemporâneas em diluir suas fronteiras.

Desta forma, trata-se de uma ação de extensão interdisciplinar onde se pretende estudar as conexões entre o fazer teatral e o vídeo como suporte. Entrei para este projeto em 14 de junho de 2010 e estou até hoje desenvolvendo pesquisa sobre montagens de espetáculo e vídeos que estimulem e potencializem a cena teatral, junto com esse projeto resolvi me entregar a outro projeto com fundamento em pesquisa de apresentações de cenas curtas que foi, o projeto Teatro em Exercício propõem a prática constante de criação, composição e apresentação de trabalhos cênicos, por grupo de alunos do Curso de Licenciatura em Teatro da UFPEL, a serem apresentados em diferentes contextos, como encontros de profissionais da educação, psicologia, saúde, etc. Coordenadora: Moira Albornoz Stein.
Início das atividades foi 11 de agosto de 2011 experimentei por um tempo onde minhas curiosidades era o projeto de pesquisa Espectros do Corpo-Voz é um projeto de pesquisa da UFPEL, coordenadora: Moira Albornoz Stein.. Entrei em agosto de 2011 como atriz pesquisadora, meu objetivo principal foi os exercícios de partituras vocais e de movimentos corpóreos, praticávamos duas vezes na semana ode ampliou muito minhas pesquisa sobre treinamentos vocais e corporais. Em todos estes projetos onde atuei, adquiri experiências diversas sobre conhecimentos artísticos tanto e prática quanto em teoria, que me constroem enquanto artista pesquisadora. 



Peças teatrais e performances;
As Frenéticas (peça) Direção de André Luiz Borba Loureiro;
Zona Contaminada (peça) Direção de André Luiz Borba Loureiro;
Perpetuação do Sangue (performance) Performance escatológica de João Bosco B.
O voodoo (performance) João Bosco B.
O Quarto de bonecas (performance) João Bosco B.
A LA BELLE D`JOUR (performance) João Bosco B.
O Assassinos; Onde estará baby jane? (performance) João Bosco B.
O gato não comeu (peça) Núcleo de Teatro UFPEL;
O banquete (performance) Núcleo de Teatro UFPEL;
Partituras do ator (performance) Núcleo de Teatro UFPEL;
Navio Negreiro (peça) Direção de Moises Vasconcellos;
Boi tatá de Simões Lopes Neto (dança) Dança-teatro UFPEL;
Assinatura de Contrato (peça sobe minha direção) Disciplina de encenação, UFPEL;
A Morte aos Assassinos (performance sobe meu conceito)
Falo Pela Paz (peça sobe minha direção) Disciplina de encenação, UFPEL;
Fêmeo parte II (vídeo-dança) Oficina dança-teatro UFPEL;
Olhar do Outro (peça performática) Boca de Cena UFPEL;
A Vida e a Época de Lobo da Costa (peça) Disciplina de montagem, UFPEL;
Voz e Matéria (Performance sobe meu conceito) Boca de Cena;


2 de abr de 2013

Evento ruído gesto ação & performance


O evento do curso de Artes Visuais da FURG, ruído.gesto ação & performance 2013/corpo estranho, esteve recebendo inscrições para propostas de performances presenciais, videoperformances e fotoperformances


O evento ocorrerá nos dias 4 e 5 de abril no prédio do curso de Artes Visuais, no Campus Carreiros da Universidade Federal do Rio Grande, das 17h às 23h.
 Os trabalhos em vídeo-performance serão projetados.
Foram selecionados dois vídeos performance que inscrevi para o evento.






Voz e Matéria

A fala nos veio como catarse de cura, cortar a roupa é a retirada das camadas, que são simbolizadas pela matéria, a própria roupa, objeto que utilizamos para momentos especiais, que neste caso foi a própria performance.

Concepção artística:
Performer: Lumilan Noda e Tatiana Duarte
Produção - Epílogo Filmes 








Fêmeo parte II

Vídeodança sobre o feminino, com a inspiração nas obras "o grito" de Eduard Munch e surtos psicóticos de Psycho Alfred Hitchcock.

Direção Coreográfica e Montagem - Tatiana Duarte
Direção de Vídeo e Finalização - Thiago Rodeghiero
Produção - Epílogo Filmes




faceboock do evento